Biologia

Carregamos DNA de uma espécie misteriosa, a ciência descobre

Carregamos DNA de uma espécie misteriosa, a ciência descobre



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Um algoritmo de análise genética desenvolvido por cientistas revelou que os humanos de hoje carregam os genes de um ancestral desconhecido devido à mistura de espécies de hominídeos há centenas de milhares de anos.

Os cientistas também encontraram mais evidências de que humanos antigos e espécies relacionadas cruzaram várias vezes, graças aos restos dentro de nosso DNA.

VEJA TAMBÉM: PESSOAS COM GENES NEANDERTAIS PODEM TER MAIOR RISCO DE CONTRATAR COVID-19

Sabemos que alguns humanos migraram para fora da África e cruzaram com os neandertais na Eurásia, há aproximadamente 50.000 anos. No entanto, este novo estudo mostra que esse não foi o único caso em que nossos ancestrais humanos e seus parentes cruzaram entre si, trocando DNA.

A pesquisa, conduzida por Melissa Hubisz e Amy Williams da Cornell University e Adam Siepel do Cold Spring Harbor Laboratory, foi feita para analisar genomas de dois neandertais, um denisovano e dois humanos africanos para identificar segmentos de DNA que vieram de outras espécies. Isso foi feito com a utilização de um algoritmo, desenvolvido por eles.

Os resultados foram surpreendentes, para dizer o mínimo. Em primeiro lugar, foi visto que 3% do genoma do Neandertal pode ser rastreado até humanos antigos e que o cruzamento ocorreu entre 200.000 e 300.000 anos atrás.

Outra descoberta foi que 1% do genoma Denisovan foi determinado como proveniente de uma fonte inesperada - um "ancestral humano arcaico" que não era humano, nem Neandertal, nem Denisovan.

De acordo com as estimativas da equipe, cerca de 15% dessas regiões "super-arcaicas" podem ter sido transmitidas aos humanos modernos, continuando a existir nos genomas das pessoas hoje.

Esse ancestral humano arcaico poderia ser o Homo Erectus, a equipe propõe e escreve: "Pode ser razoável supor que a troca genética fosse provável sempre que dois grupos se sobrepusessem no tempo e no espaço."

Os resultados são publicados na revista PLOS Genetics.


Assista o vídeo: Transcrição e Tradução: síntese de proteínas COMPLETO Mais Biologia, com Roger Maia (Agosto 2022).